''O QUE PODEMOS FAZER PARA QUERER FIRMEMENTE AQUILO QUE RECONHECEMOS SER O MELHOR PARA NÓS E PARA NOSSA ESPÉCIE?''

12 de out de 2009

Livro: As Plantas Receitam - 15 de 20

ÓRGÃOS E NUTRIÇÃO

Os orgãos demonstram a maneira de nutrição de espécie. Vamos analisar os dentes, canal digestivo, e orgãos dos sentidos que dirigem o animal em direção do que lhe é próprio.

DENTES
São três classes: Caninos, incisivos e molares.

CARNÍVOROS
Nos animais ferozes os incisivos são pequenos e os caninos enormes, pontiagudos, lisos e curvos - tipo garfo para espetar e rasgar.
Não possuem a mandíbula inferior por estorvar a busca da carne. Com a boca totalmente aberta devoram bem a carne, mas, com um pedaço de pão, acabam por engolir sem poderem mastigar.

HERBÍVOROS
Incisivos bem desenvolvidos para cortar ervas, enquanto os caninos são grandes em raros casos, para fins de alimentação de raízes e cascas de árvores, como o caso do elefante.
Os molares são largos e compridos esmaltados somente em um lado, servem para esmagar e triturar os alimentos.

FRUGÍVOROS
Nos frugívoros vemos a dentição mais uniforme. Os caninos não servem de garfo e os molares têm rugas esmaltadas em sua parte superior.
Com a mandíbula inferior se articulando com o movimento lateral, sua atividade é a de um moinho.
Nota-se que nenhum molar tem pontas, pôr isso, não servem para carnes. Daí que os onívoros, que são os ursos, possuem molares pontiagudos e molares chatos.

HOMEM
Só pode estar como frugívoro.
Dentição nada parecida com a dos carnívoros.
Também não se parecem com a dos herbívoros.
Igual a dos frugívoros, assim o homem tem nas frutas o alimento mais saudável.


Nenhum comentário:

Total de visualizações de página