''O QUE PODEMOS FAZER PARA QUERER FIRMEMENTE AQUILO QUE RECONHECEMOS SER O MELHOR PARA NÓS E PARA NOSSA ESPÉCIE?''

23 de nov de 2009

Veja as empresas que testam e não testam produtos em animais !



É muito importante boicotar (nao consumir) as empresas que testam em animais, mas devemos ter presente que o primeiro passo para respeitar os animais é exclui-los da nossa alimentação, e tal constitui uma forma muito mais directa e eficaz de contribuir para minorar o sofrimento global dos animais. Num único dia são abatidos mais animais para consumo humano do que aqueles que são usados num ano inteiro de experimentação animal.





retirado do site PEA


Empresas que NÃO Testam em Animais - Atualizado em 23/10/09

Saiba como Incluir ou Retirar sua Empresa na Lista da PEA - Clique Aqui

Esta lista informa se a empresa Não Testa em Animais, não considerando a composição dos produtos.

Todas empresas Nacionais, que estão nesta lista, informaram-nos, via e-mail, que não realizam testes com animais. As empresas Internacionais, que constam nesta lista, foram investigadas pela Peta.

Para saber quais são os produtos de origem animal Clique Aqui .

______________________________________________________________________


Empresas que TESTAM em Animais - Atualizado em 22/02/09


Esta lista informa se a empresa Testa em Animais, não considerando a composição dos produtos.

As empresas Internacionais, que constam nesta lista, foram investigadas pela Peta.
Para ver a lista completa Clique Aqui

NOTAS
- Das empresas citadas algumas:

 testam diretamente os seus produtos em animais;
 terceirizam laboratórios para a realização dos testes em animais;
 fazem parte de um grupo empresarial que adota os testes em animais;
 podem fabricar algumas linhas de produtos não testados em animais;
 algumas marcas não testam em animais, porém a empresa mãe testa.

- Para saber quais são os produtos de origem animal Clique Aqui






Que Produtos Comprar?

Virtualmente todos os produtos de limpeza, produtos de higiene pessoal e produtos cosméticos que se vendem nos supermercados e hipermercados são de empresas que testam em animais. Os produtos de marca branca são quase sempre fabricados nas mesmas fábricas que os produtos das multinacionais e contêm quase sempre os mesmos ingredientes testados em animais. Em qualquer caso, é menos mau optar por uma marca branca, na medida em que a contribuição financeira é menor, sendo menor o contributo para a continuação dos testes em animais.Na hora de comprar produtos de limpeza, produtos de higiene pessoal e produtos cosméticos, devemos procurar optar por produtos de empresas que não façam experimentação em animais. Infelizmente, isto é muito difícil. O mercado de produtos de consumo é dominado de forma praticamente absoluta por uma meia dúzia de gigantes multinacionais (p. ex., Procter & Gamble, Unilever, Colgate-Palmolive, Johnson & Johnson, L'Oréal, Henkel) que controlam centenas de marcas comerciais e não se coibem de recorrer aos testes em animais sempre que isso lhes convém. É precisamente o sacrifício de milhares de animais que permite às grandes empresas de produtos de consumo estarem constantemente a lançar novos produtos no mercado. Milhões de animais são sacrificados para satisfazer a ganância de alguns.
Para encontrar produtos de empresas que tenham reais preocupações éticas (e não apenas preocupações de imagem) é normalmente necessário efectuar compras online, em lojas de produtos naturais/dietéticos ou por catálogo. Estes produtos são normalmente mais dispendiosos, sobretudo por terem um mercado bastante reduzido.
As únicas empresas relativamente às quais existe segurança de que não testam em animais (com comprovação mediante auditorias externas) são aquelas que têm certificação HCS (Humane Cosmetics Standard, Padrão Para Cosméticos Éticos) ou HHPS (Humane Household Products Standard, Padrão Para Produtos de Limpeza Éticos). Obviamente, qualquer empresa teria interesse em obter estas certificações, pois tal representa uma excelente publicidade. Como tal, pode assumir-se com elevado grau de segurança que qualquer grande empresa que não tenha estas certificações não cumpre os requisitos necessários para as obter.
única lista fidedigna de Empresas e Marcas Que Não Testam Em Animais pode ser consultada a partir do site abaixo:
Também poderá encontrar informações úteis na secção "Animais em Experimentação" do
 
site da Associação ANIMAL.


Notas Adicionais




Embora a maioria das pessoas que tem conhecimento da crueldade da experimentação animal tente afastar-se desta crueldade, é preciso ter a noção de que é virtualmente impossível desligarmo-nos por completo desta cruel indústria. Mesmo que consigamos alternativas para todos os produtos de consumo de empresas que testam em animais, mais cedo ou mais tarde necessitaremos de um medicamento testado em animais (por lei, os medicamentos têm de ser testados em animais). Admitir esta realidade não faz de nós hipócritas, pelo contrário. Devemos procurar evitar contribuir para a exploração animal no que estiver ao nosso alcance, mas não temos obrigação de fazer mais do que conseguimos.
Por analogia, suponhamos que toda a água do país passava a ser controlada por uma empresa que também explorava crianças em trabalho infantil na Ásia. Deviamos deixar de beber água por sermos frontalmente contra esta atitude por parte da empresa? Claro que não. A mesma lógica pode ser aplicada à experimentação animal. Não havendo alternativa viável, teremos de usar aquilo que for possível, mesmo que não concordemos com a forma como o produto foi obtido.


A Experimentação em Animais

.
Todos já ouvimos falar que os testes com animais são necessários para o progresso da ciência, seja este progresso voltado para a medicina, para a cosmética, ou para fins militares. Atualmente, muitos apontam para o fato de que tais experimentos são desnecessários, duplicativos, muito custosos e por muitas vezes apontam para a direção errada. Enquanto muitos acreditam que a ciência pararia se os testes com animais não existissem, o fato é que métodos de pesquisa mais eficientes e fidedignos, e menos custos, existem, tais como estudos epidemiológicos, clínicos e in vitro.
.
Qual é a Experiência do Experimentado?
.

A estimativa é de que, somente nos Estados Unidos, de 20 a 70 milhões de animais (gatos, cachorros, primatas, coelhos, ratos, etc.) sofram e morram em nome da ciência a cada ano. Muitos acreditam que estas experiências sejam indolores e garantam o bem-estar do animal. Ora, será possível aplicar irritantes a sua pele e olhos, causar-lhes dor voluntariamente, viciá-los em drogas e então privá-los das mesmas, matá-los para ilustrar conceitos já bem conhecidos e privá-los de afeto e carinho e ainda assim garantir o seu bem-estar? Obviamente, a resposta é não. Resta então acreditar que ao menos o bem-estar de nossa espécie está sendo garantido com tais testes. Porém, esta última crença também não é verdadeira. A experiência não é nada melhor para o experimentador (homem) do que para o experimentado.



Diferentes Espécies
Os testes com animais partem do princípio de que é possível entender a anatomia e fisiologia humanas através do estudo de outros animais que não o próprio homem. O fato é que os outros animais diferem imensamente do homem em seus caracteres genéticos, histológicos, anatômicos, fisiológicos, imunológicos, emocionais, psicológicos, sexuais e sociais. É por esta razão que existem médicos para humanos e veterinários especializados em outros animais que não o homem. Tão grandes são as diferenças entre cada espécie animal que um veterinário especializado em cães não tem a mesma habilidade de tratar uma vaca quanto aquele especializado nesta última espécie.
.
Chega de Choro
A indústria de cosméticos e produtos de uso doméstico (lustra-móveis, amaciante de roupas, etc.) é responsável pelo sofrimento e morte de cerca de 14 milhões de animais por ano em dolorosos experimentos laboratoriais.
Os testes em animais conduzidos para estes propósitos são os mais ultrapassados e desnecessários. Eles envolvem testes como o Draize, no qual substâncias cáusticas são aplicadas aos olhos de coelhos vivos, sendo estes dóceis animais privados de movimentos que interfiram no teste, como coçar o olho com as patas ou contra algum objeto.
.
A imobilização é organizada de forma que suas cabeças fiquem separadas do resto do corpo por um obstáculo. Seus olhos são freqüentemente mantidos abertos por um gancho que se aplica à pálpebra e alguns coelhos quebram o pescoço ou a coluna vertebral na tentativa de escapar.
.
A progressiva deterioração dos olhos é então registrada pelo experimentador a cada 72 horas, geralmente. O teste se prolonga por até 18 dias e, se o animal sobreviver, ele poderá ser utilizado em outros experimentos. As reações locais ao teste vão de inchaço da pálpebra, inflamação da íris, ulceração e hemorragia até cegueira. Drogas para aliviar a dor raramente são administradas porque estas, segundo os pesquisadores, podem interferir nos resultados dos testes.
.
Este teste vem sendo utilizado desde 1944 e é atualmente responsável pelo sofrimento e morte de milhares de coelhos todos os anos, apesar de não prevenir ou curar qualquer tipo de complicação na saúde dos humanos. Saber que um coelho fica cego depois de seus olhos terem sido colocados em contato com xampu anticaspa por 72 horas não ajuda muito. Nós sabemos que não devemos colocar substâncias cáusticas em nossos olhos, basta sentir a dor por si próprio ou que alguém que acidentalmente o fez nos diga que não é uma sensação agradável para que saibamos.
.
Outro teste realizado em animais para testar a toxicidade de produtos é o LD 50 (Dose Letal 50), no qual os animais são forçados a ingerir substâncias tóxicas de forma gradativa, até que metade da população estudada (animais) morra envenenada.
Outras variações do teste chegam a matar até 100% da população estudada. Este teste foi elaborado em 1927.

.
Estes testes visam proteger as empresas, não os consumidores. Os testes em animais não são requeridos por lei para a aprovação de cosméticos e produtos de uso doméstico. Exige-se apenas que cada ingrediente em um produto cosmético seja adequadamente testado para segurança antes de ser comercializado, ou que o produto traga em sua embalagem um aviso de que sua segurança não foi determinada. Não existe uma exigência particular quanto à natureza do teste. O método a ser utilizado é determinado pelo fabricante, e sua realização é feita quase que exclusivamente com o intuito de defender-se de possíveis ações judiciais por parte dos consumidores.
.
Drogas
Mais de 200.000 novas drogas são comercializadas em todo o mundo a cada ano. A maioria destas só pode ser colocada no mercado após ter passado pelo método de pesquisa mais arcaico que existe: a experimentação em animais. Além de arcaico, porque baseia-se na tortura e exploração de animais, este método também é perigoso para a saúde humana, porque seus resultados são pouco fidedignos e muitas vezes levam a conclusões erradas.
.
O FDA (Food and Drug Administration) é o órgão do governo americano que regulamenta os procedimentos (estudos clínicos, laboratoriais, etc.) para a aprovação de drogas, cosméticos, aditivos alimentares, etc. Mais da metade das drogas aprovadas pelo FDA entre 1976 e 1985 causaram sérios efeitos colaterais e tiveram que ser reclassificadas ou retiradas do mercado.
.
As reações a determinadas drogas variam até mesmo entre dois humanos e por isto são dificilmente estimadas por testes em animais. Practolol, uma droga que foi aprovada por testes em animais causou cegueira em humanos e foi retirada do mercado. O arsênico, que é cancerígeno em humanos, não foi capaz de causar câncer em outras espécies. O Chlomiphene diminui a fertilidade em outros animais mas induz a ovulação em humanos. A droga antiinflamatória fenilbutazona é degradada nove vezes mais rápido em humanos do que em macacos rhesus.
.
Da mesma forma, foram conduzidos experimentos em animais para pesquisar novas drogas que reduziriam os efeitos do derrame. Das 25 drogas que demonstraram resultados em roedores, sequer uma demonstrou resultados em pacientes humanos.
.
A droga dietilstilbestrol (DES), testada e aprovada em animais para prevenir problemas na gestação, provou ter efeitos cancerígenos e teratogênicos (malformação congênita) quando testada em humanos. Muitas drogas para a artrite que foram aprovadas nos testes com animais, incluindo o Feldene , foram retiradas do mercado porque elas causaram severos efeitos colaterais quando administradas em humanos, levando até à morte. No Brasil, esta droga ainda é utilizada.
.
Cientistas estavam apostando nos testes com animais para demonstrar uma correlação entre o tabagismo e o câncer de pulmão. Estes testes falharam em demonstrar esta correlação, que já era óbvia pela observação de dados humanos, resultando em uma grande demora em trazer esta informação a público.
.
Além dos riscos de reações adversas quando da utilização por humanos, os testes em animais podem ainda prevenir que drogas potencialmente úteis sejam aprovadas para uso. Se a penicilina não existisse, ela provavelmente nunca seria aprovada pelas regulamentações atuais. Quando administrada em cobaias (porquinhos-da-índia), esta droga mata os animais, o que a teria descartado para uso em humanos. O ácido acetilsalicílico (aspirina) causa a morte em gatos, enquanto a morfina, um depressor do sistema nervoso central no organismo humano, atua como um estimulante do mesmo sistema em gatos, cabras e cavalos.
.
Tão reconhecida é a ineficácia dos testes em animais em estimar efeitos de substâncias no organismo humano que os cientistas e a indústria freqüentemente ignoram os resultados de tais testes . Foi o que aconteceu com a droga para acne Accutane, que foi comercializada a despeito do fato de que ela havia demonstrado efeitos teratogênicos em ratos. As letras miúdas da bula traziam um pequeno aviso, mas neste caso os testes em animais refletiam a verdade. Agora, centenas de crianças nasceram com má formações causadas pela droga. Apesar disto, a droga continua no mercado.
.
Apesar da comprovada ineficácia e nocividade dos testes em animais, os órgãos regulamentadores continuam a exigir que estudos em animais sejam realizados antes que uma nova droga possa ser colocada no mercado.
.
Alternativas
O teste Draize pode ser substituído por testes mais modernos e humanos. A empresa In Vitro International, localizada na Califórnia, desenvolveu o método Eytex, que simula a irritabilidade dos olhos através de um sistema de alteração protéica. Uma proteína vegetal, extraída de uma leguminosa, imita a reação da córnea quando exposta à substâncias estranhas. Quanto maior for a irritabilidade, mais opaca a solução se torna. A fórmula Skintex, também desenvolvida pela mesma empresa, é feita a partir de abóboras e é utilizada para imitar a reação da pele humana à substâncias estranhas. Ambos recursos podem ser utilizados para testar a toxicidade de mais de 5.000 substâncias diferentes.
.

Clonetics, uma empresa de San Diego, na Califórnia, desenvolveu o EpiPack, o primeiro produto comercial a conter clones vivos de células humanas. Estas células podem ser expostas a várias substâncias em diferentes diluições para serem então analisadas.
.

Culturas celulares e teciduais podem ser desenvolvidas em laboratório a partir de uma única célula humana ou animal. Estas culturas podem ser utilizadas para enxertos de pele em pacientes queimados e podem também ser utilizadas para substituir animais em testes .
.

A corrosibilidade de materiais pode ser testada em coelhos vivos. Recentemente, um novo método que substitui esta prática bárbara foi aprovado pelo Departamento de Transportes dos Estados Unidos. O Corrositex é um método moderno, in vitro, que utiliza culturas celulares para testar a corrosibilidade de materiais. Como outros métodos de cultura celular, o Corrositex é mais barato do que o uso de animais vivos, além de ser mais humano.
.
Uma Proposta Mais Sana
O sofrimento de animais não é necessário para o progresso da ciência. Tão pouco são necessários tantos testes de qualquer natureza que sejam. A necessidade de se desenvolverem novos cosméticos e novas drogas advém da deterioração do estado de saúde da população. Hoje, muitos fatores que contribuem para a ocorrência de problemas na saúde dos indivíduos são conhecidos, sejam estes fatores ambientais, nutricionais, econômicos ou sociais.
.

Sabe-se que o tabagismo pode causar o câncer, mas ainda assim as pessoas continuam a fumar e exigem do estabelecimento científico uma solução para o problema. Sabe-se que fatores dietéticos (consumo excessivo de lipídios, sódio, etc.) levam à ocorrência de problemas cardiovasculares, por exemplo. Ao invés de investir em propostas profiláticas como, por exemplo, educação nutricional real, o que vai muito além de desenhar pirâmides, os investimentos na saúde são destinados ao desenvolvimento de novas drogas e cirurgias que pretendem "tratar" aqueles que adotaram hábitos alimentares inadequados.
.
Ao invés de colaborar para o desenvolvimento de novas tecnologias que garantam um uso racional dos recursos naturais do planeta, o que propiciaria uma maior disponibilidade de alimentos para a população mal nutrida, investe-se em energia nuclear (uma das invenções mais potencialmente nocivas do homem) e no desenvolvimento da agropecuária, prática que é contraproducente ao objetivo de fornecer mais alimentos à população - pelo contrário, a agropecuária é a causa da crise mundial de alimentos por utilizar os recursos naturais de forma irracional, conforme discutiremos em números futuros.

.
É hora do homem pôr em prática o que a ciência já sabe e deixar de exigir dela soluções para quaisquer problemas que lhe praza criar. A idéia de que a ciência é unipotente e pode portanto encontrar soluções para o que quer que lhe seja proposto pode estar levando o homem à um caminho sem saída, pois no momento em que ele descobrir que a ciência está longe - e talvez nunca chegará nem próximo - de ter todas as soluções aos problemas por ele criados utilizando os animais como se fossem sua propriedade, esgotando os recursos de seu único lar (a Terra), e fazendo de suas vontades alimentares, econômicas e sociais impulsos inconseqüentes, ele poderá estar em uma posição da qual a saída já não mais está acessível.
.
De nada servem novos conhecimentos sobre a direção do movimento de um elétron de um único átomo quando ainda não compreendemos, ou não demonstramos ter compreendido, a maneira com que nossas relações com coisas tão mais gigantescas, como um abacate, uma borboleta ou toda uma espécie animal que utilizamos para satisfazer "necessidades" ilegítimas, podem afetar nossa sobrevivência sobre a superfície da Terra.
.
George S. G. Guimarães

O Vegetarianismo

Estudos científicos constantemente provam os benefícios que uma dieta vegetariana proporciona, que vão desde melhor desempenho nos esportes à reversão de doenças do coração:

Controle de Peso: Uma dieta isenta de produtos animais é pobre em gordura, o que reduz o conteúdo calórico da refeição. Além disto, outros fatores como o conteúdo de fibras da dieta também contribuem para a redução e manutenção do peso ideal. Para obter a mesma quantidade de calorias, a pessoa precisa ingerir uma quantidade maior de alimentos, o que possibilita mais saciedade com menos calorias.

Redução do Risco de Doenças do Coração: Além de ser mais pobre em gordura, uma dieta sem produtos animais (carnes, ovos, leite e derivados) é totalmente isenta de colesterol. A abundância de fibras da dieta ainda ajuda o organismo a eliminar o colesterol excessivo.

Redução do Risco de Desenvolver Câncer: Os alimentos de origem vegetal são muito ricos em vitaminas e minerais que são de fundamental importância para uma boa saúde. A baixa quantidade de gordura e a abundância de fibras presentes nestes alimentos também contribuem para a redução do risco de desenvolver várias formas de câncer.

Outros Benefícios: Melhora a disposição e energia, possibilita a descoberta de novos alimentos, reduz o risco ou amenizar os efeitos de doenças degenerativas como osteoporose, obesidade e hipertensão, reduz os sintomas ou elimina alergias e artrites, evita sofrimento de animais, reduz as agressões ao meio ambiente.

Uma dieta vegetariana é um passo obrigatório no caminho de uma vida saudável!

Muitos se perguntam o que resta para um vegetariano puro (vegano) comer já que ele elimina todos os alimentos de origem animal de sua alimentação. Veja só quantos alimentos ainda sobram:

Vegetais: folhas, legumes, brotos
Cereais: arroz integral, trigo, aveia, milho e cevada
Leguminosas: feijão, lentilha, grão-de-bico, soja, ervilha
Tubérculos: batata, mandioca, mandioquinha, cará, inhame
Frutos oleaginosos: nozes, amêndoas, castanhas, avelã
Frutas: banana, caqui, pinha, fruta do conde, mamão, figo, tâmara, frutas secas, manga, uvas, ameixa doce, pêssego doce, pêra, maçã, abacaxi, morango, maracujá, frutas cítricas, carambola, kiwi, tomate, maçã fuji e maçã verde, melão, melancia.

Enfim, tudo que é vegetal. Dá pra comer bem, não dá?.

Veganismo é vida saudável



O veganismo é, acima de tudo, uma escolha por uma vida saudável, não apenas do ponto de vista de saúde, mas também social e moralmente. É saudável para quem pratica, é saudável para o meio ambiente que é poupado do peso da produção de alimentos de origem animal e, obviamente, é saudável para os animais que são criados e mortos para alimentar pessoas.

Dieta Saudável

Os benefícios de uma dieta vegana continuam a ser revelados a cada dia em estudos científicos e em experiências individuais.
Uma dieta isenta de produtos de origem animal é isenta de colesterol, baixa em gordura (especialmente gordura saturada) e rica em fibras, vitaminas e minerais. Isto significa uma enorme diminuição no risco de doenças como arteriosclerose, infarto, derrame, diabetes, câncer, constipação, entre outras. Além disto, por eliminar alimentos altamente contaminados por antibióticos, hormônios, pesticidas, além de alimentos alergênicos como o leite, este estilo alimentar também evita o surgimento de diversos tipos de alergias e intolerâncias. A dieta vegana também é geralmente baixa em calorias, o que significa um melhor controle de peso e a distância dos desconfortos causados pela obesidade.


Veganismo e Violência

Há muitos motivos para se adotar um estilo de vida vegano e também são muitas as formas em que o veganismo é expresso, mas o veganismo pode ser sempre definido da seguinte maneira: um estilo de vida que evita toda forma de exploração e violência, sejam estas contra animais, humanos ou o planeta no qual vivemos.
.
Poucos são aqueles que se iniciam no veganismo por uma questão meramente de saúde, apesar deste ser um aspecto importante deste estilo de vida e um dos melhores argumentos em seu favor.
.
O aspecto ambiental atrai a atenção de muitos que entram em contato com o veganismo pela primeira vez, recebendo a aprovação mesmo daqueles que se recusam a adotá-lo. O fato de mais alimentos vegetais poderem ser produzidos no mesmo espaço e com a utilização de menos recursos quando comparados com a produção de alimentos de origem animal é, dos argumentos em favor do veganismo, certamente o mais lógico e irrefutável.
.
No entanto, o maior número de pessoas que abraçam o veganismo é composto por aquelas que se sentem tocadas ao saberem que sua alimentação até então era dependente do sofrimento de animais inocentes, mortos para satisfazer uma necessidade que elas agora sabem não ser essencial. O despertar pode vir no contato com o bezerro no sítio do amigo, ao saber que em muitos países asiáticos os cachorros são considerados uma iguaria e então perceber que seu animal de estimação poderia ser o jantar de alguém, ou na descoberta tardia de que seu pintinho de estimação na infância -aquele que crescera demais para continuar morando em casa e sua mãe disse ter mandado para a chácara do tio- houvera, em realidade, tido seu fim naquele almoço de domingo (do qual você também participou). Uma visita ao matadouro também costuma dar um empurrãozinho para cair a ficha.
.
Enfim, a descoberta da realidade sempre traz consciência e a consciência sempre traz moralidade. Imagine a confusão de valores pela qual passa uma criança que tem que aprender que o boi, o porco, a galinha, tão dóceis e amáveis, são os heróis de seus filmes favoritos e, ao mesmo tempo, são também o seu jantar. "Como assim? Amigo e jantar ao mesmo tempo?" A criança pode não buscar descobrir, em um primeiro momento, como o seu herói ou amigo foi parar no prato de jantar. Talvez ela busque em sua fantasia uma forma "amigável" de se tornar jantar. Talvez eles sejam tão amigos e amáveis que eles voluntariamente sacrificam-se para alimentar seu amigo humano. Um verdadeiro ato de heroísmo! Mas eles logo buscam a verdade, quanto mais perto da realidade, mais perto da consciência.
.
A criança pode lidar com uma explicação fantasiosa de como uma parte de um boi foi parar em seu prato, mas a realidade nua e crua de um matadouro não deixa espaço para fantasias. É consciência instantânea: comer um animal após ter visto um matadouro está imediatamente fora de questão. É natural perceber que algo está errado. Faça um experimento simples: coloque uma maçã e um coelho no quarto da criança e deixe-a a sós com eles. Entre após alguns minutos e veja quem vai ser comido e quem vai ganhar um nome e um penteado novo.
.
Situações como estas que confundem um personagem de história infantil com um alimento congelado, heroísmo com sofrimento, docilidade com violência, acabam por distorcer valores em formação pela criança.
.
Diversos estudos já demonstraram a relação entre violência animal e violência humana. Aqui está um bom exemplo: serial-killers têm, em 90% dos casos, história de maus tratos com animais na infância. O desprezo pela vida de um animal acarreta na perda pela santidade da vida humana. Crianças aprendem valores de compaixão e respeito através da relação que elas têm com os animais. Compaixão pelos animais, compaixão pela humanidade. Se animais podem ser mortos para satisfazer uma necessidade, então qualquer forma de vida pode também.
.
É claro que isto não se manifesta largamente na sociedade, pois existem regras sociais e de comportamento às quais aprendemos a obedecer. Obviamente, não são todos que cresceram comendo carne que se sentem à vontade para matar pessoas ou que se envolvem em atos de violência, grupos sectários, atividades que exploram trabalho escravo ou infantil e tantas outras formas de violência presentes ao nosso redor. No entanto, a mensagem para a criança que está formando estas regras pelo contato com o ambiente é uma de menosprezo à vida, de descaso ao sagrado. O impacto que isto tem na relação entre famílias, ideologias, sociedades, países, religiões, é imensurável.
.
Imagine um mundo livre de violência contra animais e você verá um mundo livre de violência contra humanos!


Quais os tipos de dieta vegetariana?




Ovo-lacto-vegetariana 
Exclui todos os tipos de carne, permitindo o consumo de ovos, leite e seus derivados.

Lacto-vegetariana 
Exclui todos os tipos de carne e também os ovos, permitindo o consumo leite e seus derivados.

Vegana (Vegetariana Pura) 
Exclui todos os alimentos de origem animal, inclusive ovos, leite e seus derivados. O vegano também se abstém do consumo de produtos (alimentares ou não) que contenham qualquer traço de crueldade animal, como mel, lã, couro e cosméticos que contenham ingredientes de origem animal ou que tenham sido testados em animais.

5 MITOS SOBRE O VEGETARIANISMO





18 de nov de 2009

Sementes de Melancia




A melancia, Citrullus lanatus, faz parte da Família das Cucurbitaceae e da Tribo das Benincaseae. O gênero Citrullus compreende 4 espécies conhecidas.

Existem três grandes tipos de melancias:



1- As melancias de carne amarga, cultivadas na África por suas sementes que são fritas antes de serem consumidas.

2- As melancias chamadas “a doces” cuja carne é branca, com um teor elevado de matéria seca e não açucarada. São chamados às vezes de “melon d’Espagne”.

3- As melancias à carne açucarada, de cor vermelha, laranja ou amarela, muito ricas em água.
A semente de melancia possui uma substância chamada curobucitrina, que age como vasodilatador sendo indicado para hipertensão arterial.

As sementes de melancia são boas para curar infecções das vias urinárias.

Triture as sementes e prepare uma emulsão. Tome depois que esfriar.
Algumas propriedades medicinais são atribuídas aos seus constituintes.
O suco das sementes é considerado vermífugo e diurético leve.
A outras partes são atribuídas propriedades na cura de erizipela, febre e infecções de vias urinárias.

Uma de suas maiores qualidades alem ser refrescante, devido a grande quantidade de líquido, faz bem ao sangue, e em razão disso, deve-se comê-la antes ou no intervalo das refeições e, nunca após, pois isto pode provocar digestão mais lenta pela enorme quantidade de água que contém.

Suas sementes, torradas e aplicadas sobre qualquer ferida acalmam a dor. A melancia também é refrescante estomacal e, com um pouco de mel e limão, pode ser usada contra resfriados, catarros, excesso de bilis e o gosto amargo da boca.

Conserva-se em geladeira por 2 a 3 semanas.

Seu período de safra é de novembro a junho.



Propriedades Nutricionais:


Além de doce e muito refrescante, a melancia é muito nutritiva. Possui hidratos de carbono (açúcar), betacaroteno (provitamina A) e vitaminas do complexo B e C. Também apresenta cálcio, fósforo, ferro e muita água. Hoje já se conhece o licopeno e glutationa,
compostos que a melancia possui em abundância, que são responsáveis por
proteger o organismo contra o câncer e a oxidação celular.

Valor Calórico: 100 gramas de melancia fornecem 31 calorias.

Propriedades Medicinais: É recomendada para quem tem pressão alta, reumatismo ou gota. O suco de melancia provoca eliminação de ácido úrico, além de limpar o estômago e o intestino. Também é eficaz no tratamento da acidez estomacal, obesidade, bronquites crônicas, problemas de boca e garganta, cistites.

Além disso, protege contra o câncer e a oxidação celular.

O chá das sementes de melancia é vasodilatador, prestando contribuição destacada no combate à impotência sexual e hipertensão arterial.  

Recomendavel:
Chá das sementes (2 colheres de sopa para 1/2 litro de água).


13 de nov de 2009

Meus Pratos Diversos (Transição onivora > vegetariana)

Hoje no almoço fiz:

Prato Laranjado:
12 folhas de Chicória
04 folhas de alface
1 tomate picado
1 azeitona cortada
Prato Azul:
Arroz com grão de bico e lentilha
Com pouco orégano por cima, levemente cozido

MEU PREPARO:


Deixei as folhas verdes em pedaços, joguei na frigideira em fogo médio, depois jogou a azeitona e o tomate.
Quando começar a soltar o caldinho(poucos minutos), desligue.
O arroz a lentlha e o grão de bico não fui em que fiz. Eles ficaram um tempão na agua de molho para começar a iniciar o processo de germinação e liberar luz, simplesmente jogo na palaena com o arroz conzinhando e pronto.



Lembrando que SEMPRE deve-se comer os vegetais antes!
E não comer junto com líquidos.


Abaixo, outro prato que fiz outro dia

Todos ingredientes levemente cozidos, sem sal, nem secos, bem suculentos. Quando coloco a salada quente por cima do arroz, ele chupa um pouco do caldinho, entao assim que acabo a salada o arroz ta com o gostinho do caldo dos vegetais.



Como percebem são pratos extremamente simples. Não uso sal ''de cozinha'', não vejo mais motivos pra usa-lo também. Sabiam que 1Kilo de SAL NORMAL QUE TODOS USAM [químico, tóxico] custa 89 centavos? e o sal marinho, extremamente mais saudável custa 1,29 ?
Ele fica bem escondidinho no mercado... rsrs
Ainda existe o ''Sal do Himalaia'' é um sal cor de rosa, um saquinho custa 2,50, nunca experimentei.
Você escolhe. Um pouquinho de saude a mais por 40 centavos ou ter os males do sal por 40 centavos a menos?
 

11 de nov de 2009

Meu Relatório Alimentar #2 (Mês de Novembro)

Minhas comparações:

3 meses atráz eu tinha:
72 kilos
1,83
Sempre pratiquei exercícios ao ar livre, corrida, força muscular, bicicleta, etc.

Alimentavame comumente a base de pouca carne, ovos, leites, graos, vegetais, raízes porem sempre evitei muito o sal e temperos, comia besteiras, pouco refrigerante, nenhum suco artificial, doces, salgados em geral, frituras(pasteis, salgados) e pouca fruta...

Hoje 3 meses depois:

69,5 kilos e aumentando.

Exercícios mais intensos e sem tanto cansaço, recuperação rápida de fadiga, perca de peso aparente, talvez pare renovar o corpo e energias, mas sem nenhum reclamação de fraqueza.

Alimentação agora a base de frutas dobrou, vegetais e raizes aumentaram bastante de quantidade (nunca muito cozidos), nenhum líquido antes, durante ou depois das refeições, longa mastigação, não misturar muito os alimentos, como a salada antes dos mais solidos, nao como mais nenhum tipo de carne, ovo ou leite, evito o máximo de açucar, sal refinados e conservantes. Evito o maximo de coisas industrializadas e artificiais, entre outros


Efeito negativo?

Se é que se pode dizer negativo (é relativo ainda, pra cada caso, Modo de vida, biotipo) perdi alguns kilos no começo devido ao jejum matinal durante  ou pq nao consumia calorias apropriadas. O jejum matinal ajuda na purificação e expulsao das toxinas. Veja sobre jejum.

Beneficios(fatos observados):
resistencia corporea aumenta
imunidade aumenta
mentalidade mais consciente
reflexo aumentado
consciencia despertando
paladar aguçado
odores reduzindo-se
caspa acabando
sono regulado



foto do meu jantar outro dia.

[Ingredientes: cenoura, nabo, chicória, alface, tomate, cebola e alho, tudo bem picado. Arroz integral com linhaça triturada. Preparo: Quando a agua do arroz começou a secar, coloquei todos vegetais para cozinhar levemente na agua que cozinhei o arroz, tampa-se e depois deixe cozinhar um pouco, desligue, espere uns 6 minutos. Após, no prato um pouco de oregano em cima do arroz, e é isso.




Sobre a transição

Como postado anteriormente, notavél foi a mudança alimentar que aderi. Começei a 3 meses uma dieta que corta produtos e subprodutos de origem animal, vendo que, não havia mais motivos para consumi-los. A consciencia de uma pessoa que nao ingere carne, é mais limpa e ampla. Existem infindáveis alimentos (eu nao diria substitutos, pq sabemos que foi a CARNE QUE SUBSTITUIO a real alimentação crua) que são mil vezes mais saborosos que o tempeiro de carne e seus nitritos, vá a qualquer restaurante vegetariano e experimente. Mas como sabem o mundo não se muda, somos nós que mudamos. Então não estou pedindo para você virar vegetariano, quando converso com as pessoas, o sentimento da alimentação onivora me parece infincada na mente das pessoas. Como não veem os benefícios gerais ? Como não pensam desde a criação do gado até na hora que botam o bife na boca? Não existem motivos alem do egoismo, para consumir carne.

8 de nov de 2009

O Que é Gluten?

O que é esse tal de GLÚTEN?

É a proteína do Trigo de textura semelhante à da Carne.
O trigo não é apropriado para alimentação humana de forma natural, é necessário germinar as sementes para comer, nunca o trigo todo, o trigo todo serve para alimentar outras especies de seres vivos.

É notavel porque agora todas as embalagens amostram as palavras: ''Contém Gluten'', sabe por que? Porquê gluten é extremamente dificil de ser expelida do corpo, é um grude, esse grude se prende nas paredes internas e apodrece soltando caldos toxicos no corpo, muitos corpos entram em calpso quando tem gluten em excesso no corpo e dái o ministério da saude foi forçado a colocar em suas embalagens o aviso.

7 de nov de 2009

Hábitos Alimentares e o Movimento pela Paz

Revista SEICHO-NO-IE
Ano XXII - nº 254 Setembro/2006

pag. 5
Existem pessoas que deixam escapar a oportunidade todos os dias

Agora é a hora. Diante de você, existe uma oportunidade a ser aproveitada. Por que vacila? No transcorrer do dia-a-dia comum, existe a oportunidade de progredir e alcançar a prosperidade. Se parece raro o surgimento dessa oportunidade, é por que são poucas as pessoas que vivem o cotidiano com o sentimento natural de gratidão às coisas naturais. Até mesmo nas palavras que as pessoas proferem no dia-a-dia existem oportunidade para traçar o rumo da vida. Quem costuma dizer más palavras está traçando um destino ruim para si próprio. Pessoas que jogam fora a comida sem nenhum constrangimento não sentem verdadeira gratidão a Deus, ainda que, na hora de orar, diga palavras de agradecimento. Essas pessoas estão desprezando dádivas de Deus. As pessoas que desperdiçam os alimentos são, na maioria, aquelas que cresceram em lares abastados e não imaginam quanto é importante um punhado de comida para a população carente. Quem tem o hábito de jogar fora a comida esta deixando escapar, todos os dias, a oportunidade de aprimorar a própria alma. Não devemos pensar que os alimentos seham simples elementos materiais, pois na verdade, são dádivas de Deus.


Pag. 6
A verdadeira base do movimento pela paz

Existem mães que fazem questão de alimentar os filhos com muita carne, pensando que assim eles crescerão robustos. Elas são pessoas de mentalidade egocêntrica, pois só pensam nos próprios filhos e não se importam com a matança de bois e outros animais. Ao passar em frente a um açougue e ver enormes peças de carne penduradas nos ganchos, imagino que existam pessoas que as olham e pensam: ''Parecem deliciosas'', e isso me entristece. Será que essas pessoas pensam no valor da Vida? Muitas pessoas só se preocupam com a própria saúde e a dos filhos e não se importam em consumir a carne dos animais abatidos cruelmente. Ao ouvir tais pessoas falando sobre movimento pela paz, fico espantado com essa contradição. Todos os problemas da humanidade, tanto os mais graves, como as guerras, quanto as mais corriqueiros, como as infrações de trânsito (cerca de 40% dos caminhões basculantes que circulam na capital são veículos avariados ou levam cargas acima do peso e do volume permitidos) tem como origem o esquecimento daquilo que é fundamental: o respeito à Vida. Por mais que se tomem medidas para tornar rigorosos os regulamentos e as leis, não cessará o aparecimento de infratores enquanto não for ministrada a todas as pessoas uma educação que enfatize o respeito à Vida, tanto no âmbito espiritual quanto no tocando aos hábitos alimentares. Deveriam ser tomadas, pelo menos, medidas para evitar que peças grandes da carne dos animais abatidos fiquem á mostra. E, quanto às pessoas que fazem questão de comer carne, deveriam fazê-lo de forma discreta. Se milhares de leitores deste livro (e seus respectivos familiares), aproveitando a oportunidade de ler estas recomendações, tomarem a decisão de deixar de comer carne em geral, com certeza estarão contribuindo para consolidar a base do grandioso movimento pela paz.


Do livro Wnna wa Ai no taiyo da
(não editado em português; título provisório: A mulher é o Sol do Amor), pp. 201-205

6 de nov de 2009

Como deixar de comer carne, enzimas e sistemas alimentares

em simples palavras, leia o texto e reflita.


é tão simples quanto pensar...


Vegetarianismo é um regime alimentar que exclui da dieta todos os tipos de carne (boi, peixe, frutos do mar, porco, frango, etc), bem como alimentos derivados, é baseado fundamentalmente no consumo de alimentos de origem vegetal, com ou sem o consumo de laticínios e/ou ovos.




Voce sabia que a falta de enzimas na comida cozida é ainda uma das maiores razões do envelhecimento e morte precoce e ainda é a causa subjacente da maior parte das doenças EXISTENTES NO MUNDO GRAÇAS A RAÇA HUMANA ''CIVILIZADA''???




rótulos comuns vegetarianos:


Ovolactovegetarianismo:
Dieta composta por alimentos de origem vegetal, ovos, leite e derivados deles. Nesta dieta só há a exclusão de qualquer tipo de carne da alimentação.


Lactovegetarianismo:
Dieta composta por alimentos de origem vegetal, leite e seus derivados. Os que a seguem não comem ovos nem qualquer tipo de carne. Essa é a dieta tradicional da população indiana.


Ovovegetarianismo:
Dieta composta apenas por alimentos de origem vegetal e ovos, havendo a exclusão dos produtos lácteos e seus derivados e de carne.


Vegetarianismo estrito:
Também chamado de vegetarianismo verdadeiro, é uma dieta composta unicamente por alimentos de origem vegetal. Vegetarianos estritos não comem, assim, qualquer tipo de carne, ovos, laticínios, mel, etc., retirando da dieta todos os produtos de origem animal.


Sendo assim a real intençao intelectual do indivuo é saber da procedencia dos meios em que vive, do questionamento de sua alimentação, fonte de água, qualidade de ar, educação, etc, o básico.

Veganismo:
é sem dúvida a melhor forma hoje de capacidade de consciência, evitando primeiramente a destruição da vida em massa, que é o resultado direto de quando você paga ao caixa do supermercado por 1 kg de bisteca. Em seguida veem os aspectos mentais e fisicos que o nao-consumo de carne resulta.
Depois ecologicamente voce não irá contribuir para a destruição verde, ou seja, comida e espaço para a CRIAÇÃO do gado de CORTE.


O Veganismo em si, prega a não-utilização da dor, sofrimento, trauma, aprisionamento, e demais adjetivos similares aos seres vivos distintos e de multipla espécie que vivem conosco no planeta.
O básico de uma pessoa vegana, é ter consciencia  que resulta no mesmo que Ética, primordialmente, ter noção dos fatos sobre alimentação, possuir conhecimento sobre os substitutos da carne, receitas, ler, estudar sobre alimentação e hábitos alimentares, não usar produtos que geraram sofriemnto aos animais (testes em produtos de higiene por exemplo). Sabemos que hoje é dificil porém nao é impossivel distanciar-se dos produtos animais, o mundo possui diversidades quase infinitas, observe, leia, atente as informações disponiveis, de valor as coisas não fúteis, nao permaceça como uma ovelha hipnotizada, guie-se, instrua-se, torne-se mestre de você mesmo, se conheça, questione o que é certo e por que eu faço o errado ainda.


Existe também outras dietas vegetarianas menos comuns como o Crudivorismo e o Frugivorismo e alimentação viva...




O crudivorismo é um tipo de dieta vegetariana estrita, ou seja, o indivíduo não consome nada de origem animal, e além disso, seus alimentos não são cozidos.
Nessa dieta, nada pode ser preparado ao fogo, por acreditarem que este tipo de preparação causa perda de nutrientes.
Não quer dizer, necessariamente, que se comam apenas alimentos crus. Existem processos de preparação que não causam perda de nutrientes, como a desidratação dos alimentos.



A alimentação crudívora, também chamada de "alimentação viva" ou "comida viva", é uma forma de alimentação baseada em alimentos crus, frutos frescos e secos (hidratados), vegetais, sementes, grãos germinados como o germe de trigo e algas.


Os alimentos crus são ricos em enzimas. As enzimas são os incansáveis trabalhadores que levam os nutrientes às nossas células. Podemos dizer que a alimentação crua é uma alimentação enzimática. Ao cozermos os alimentos (mantendo partir de +- 40°C) destruímos as enzimas. Se comermos alimentos crus evitamos a destruição das enzimas que a comida contém facilitando assim a digestão e evitando gastar as nossas próprias reservas, literalmente nos alimentando de vida e luz.


Se o nosso corpo está ocupado com a digestão de alimentos cozidos e a produção de enzimas para a saliva, suco gástrico, suco pancreático e sucos intestinais, então terá que diminuir a produção de enzimas para outros propósitos. Quando isto acontece, então como pode o corpo produzir enzimas para o trabalho do cérebro, coração, rins, músculos e os outros órgãos e tecidos? Fará isso, mas de forma muito menor, que a longo prazo causam a perda de varios beneficios cíclicos do corpo, seu desenvolvimento em si, refletindo até no espiritual.

Esta falta de enzimas ocorre na maioria da população mundial dos países civilizados que se alimenta de comida cozidas excessivamente. Inclusive os animais domésticos alimentados cada vez mais de forma artificial e com alimentos cozidos sofrem das mesmas doenças que nos atacam.

Por isso, revise seu conceito, e hoje posso afirmar, a alimentação que for mais proxima da luz é a mais adequada ao ser vivo que busca seguir as leis vindas de cima, seja de Deus ou das estrelas, quanto mais colocarmos coisas artificiais dentro do nosso corpo mais estaremos indo contra a lei que rege nossas vidas, a lei do cosmo. Cada ser vivo que está em conexão com sua mae e pai (terra e sol), estão sádios e cumprindo sua missão na vida, viver. Apenas o ser humano desvia-se do seu fluxo natural, eliminando a vida mais rapido do que deveria. Nós somos luz, alimente-mos de luz e viveremos em harmonia com todos.


Substituição da Proteina animal pela Proteina Vegetal

Todos me perguntam - Mas e as proteinas Leandro, como você as substitue???
erroneamente falam que a proteina só é obtida de forma relevante se for de origem animal e que ainda é necessário fazer algum tipo de substituição...  mas quem é que diz isso? quais textos antigos os nutricionistas contemporaneos se baseiam? É muito fácil ver na tv esse erro, tomem cuidado, um conceito formado pode ser mais eficiente que uma vitamina tomada, ou seja, ter medo de faltar alguma coisa, danifica o estimulo mental que vc envia para todas as celulas e orgaos do corpo, todos os habitantes que fazem ele funcionar!, Fique esperto!!! Revise seus conceitos e pratique.


Muitas vezes, o ser humano se encontra magro, desnutrido e come carne, porque isso? simplesmente porque o desenvolvimento do corpo se dá quando o sangue e os orgaos da pessoa funcionam! E comer carne acidifica o sangue e força os orgaos! Completamente ao contrario do que se acha.

Então veja se acontece alguma mudança, se vc ainda teme, experimente nao comer carne e incluir um mesmo valor que vc gastaria, comprando outros alimentos listados abaixo, porem principalmente obtendo a proteina em alimentos crus.


Tabela de proteína Animal comparativa e equivalente com a proteina Vegetal, isso é temporario, até descobrir que comendo alimentos crus contém a proteina necessária.


CARNE



1 colher de sopa de Gelatina
(para engrossar 1 xícara de líquidos)

→  1 colher de sopa de Agar-Agar* em flocos;
→   ½ colher de sopa de Agar-Agar em pó.


1 xícara de Caldo de Carne ou de
Galinha

→   Missô* diluído em água (à gosto).


1 porção de Carne, Frango ou
Peixe


  Porção equivalente de substitutos da carne, tais como: Tofu*,
Glúten*, Tempeh*, Leguminosas.



1 porção de Carne
Moída


 1 xícara de PVT* fina hidratada;
 ½ xícara de PVT fina seca.



1 porção de Salame ou Carne
Defumada


→ Porção equivalente de Tofu Defumado.


LATICÍNIOS



Leite
de vaca

→ Leite de soja fortificado.


Iorgute

→ Iorgute de soja.



Ricota
(para lasanha por exemplo)


→ Tofu, Duro e amassado.


OVOS 



1 ovo

 2 a 4 colheres de sopa de Tofu Macio;
→ 1 colher de sopa de Semente de Linhaça moída com mais 3 colheres de sopa de
água;
 ¼ de xícara de Banana bem madura amassada.



AÇÚCARES 



1 xícara de Açúcar Branco
ou
¾ de xícara de Mel

 Açúcar Mascavo;
 ¾ de xícara de Melado de Cana;
1 a 1½ xícaras de Melado de Cereais.

GLOSSÁRIO



Agar-Agar



Espécie de Alga Marinha



Glutén



Proteína do Trigo de textura semelhante à
da Carne



Missô



Pasta de Soja



PVT fina
 (ou moída) para Carne Moída


Proteína Vegetal Texturizada
Carne de Soja



Tempeh


Substituto da Carne à base de Soja de origem Tailandense



Tofu
Queijo de Soja



Primeiro, o que é ?


As proteínas são moléculas grandes constituídas por uma seqüência de aminoácidos, formando como se fosse uma corrente. Segundo o nutricionista Romero Alves Teixeira, elas formam o que chamamos de massa corporal magra, juntamente com os ossos e líquidos corporais. Além disso, são de extrema importância tanto dentro das células quanto fora delas, pois cumprem as mais diversas funções no nosso organismo.

A principal função das proteínas no nosso organismo é sem dúvida a de constituir os nossos músculos e vísceras, uma vez que a maioria absoluta da proteína corporal está presente neles. A proteína muscular tem a função de executar a contração muscular, função primordial que possibilita movimentarmos. Outras funções de extrema importância são as proteínas que constituem os hormônios que regulam o funcionamento dos mais diversos órgãos do nosso corpo. Além disso, existem proteínas que têm o objetivo de defender o nosso corpo de agentes agressores - são os anticorpos. As enzimas que fazem o nosso organismo funcionar, metabolizando os alimentos em energia, reconstruindo a nossa massa corporal que está sempre em processo de degradação e reconstrução, são outros tipos importantes de proteínas. Por fim, existem proteínas que transportam substâncias no nosso sangue, como a hemoglobina, a albumina e as lipoproteinas HDL, LDL e VLDL, entre várias outras, explica o nutricionista.

Alimentos e Fontes

O nutricionista informa as carnes, que são na verdade os músculos e vísceras, são os alimentos que mais têm proteínas(não significando que são eles que devemos consumir). Em seguida, os ovos, leite e seus derivados, são também boas fontes de proteínas. E ainda, os cereais integrais, os feijões, e diversos legumes e folhosos também contêm quantidades consideráveis de proteínas, embora menores(porém saudáveis e satisfatórios) que os alimentos já citados.

Com relação aos vegetarianos, o nutricionista esclarece que existem diferenciações do tipo de vegetarianismo. Há aqueles que habitualmente consomem leite e derivados, e ovos. Normalmente são destes alimentos, além dos cereais e feijões, dos legumes e folhosos que este segmento da população retira as proteínas de que necessitam, supostamente.


O vegetariano estrito, é aquele que não consome carnes, leite e derivados, e ovos, mas habitualmente consomem muitos grãos integrais e seus derivados, muitas leguminosas e tem uma ingestão bem diversificada de vegetais, o que lhe garante um aporte satisfatório de proteínas, explica. Na dieta vegetariana, as verduras, legumes, cereais e leguminosas são à base da alimentação, com porções adequadas ao atendimento de energia, proteínas e micronutriente, as vitaminas e minerais.

Segundo o nutricionista, os vegetarianos advogam que as necessidades de proteínas dos humanos são bem menores. Por um outro lado, este grupo faz questão de frisar que a sociedade ocidental consome proteínas além do que realmente se necessita. Além disso, esta ingestão tida como exagerada pode ser um dos principais causadores de doenças crônico-degenerativas desta sociedade. Enfim, existe aí um embate filosófico e científico do qual ainda não se obteve um consenso, finaliza o nutricionista Romero Alves Ferreira.


Numa transição alimentar pode-se tentar usar esses alimentos:
Tofu (queijo de soja) ~ encontra-se uma proteína completa de excelente qualidade, muito melhor que a da própria soja.


Leite de soja ~ em vez do leite de vaca (o motivo é o fato do adulto não digerir bem a lactose, que é o açúcar do leite. O leite de vaca contribui para o envelhecimento precoce e inflamações, como gastrite e outras doenças. Ele foi feito para o bezerro, que tem uma constituição física diferente do ser humano)


Em sementes ~ como a de girassol, gergelim, cogumelo, pólen de flores.

Em sementes oleaginosas ~ como castanha, noz, avelã, pinhão, etc.




Também em:

Aveia integral, germe de trigo e levedura de cerveja são fontes de proteínas.

Frutas oleaginosas, como abacate e coco são ricas em proteínas.

Frutas doces e ácidas, assim como as verduras e a batata, contêm excelentes proteínas, embora em pequena quantidade, porém na medida perfeita.


O arroz integral, juntamente com as leguminosas (lentilhas, grãos de bico, ervilhas, feijões etc.), sempre uma de cada vez, principalmente leguminosas frescas ou em brotos, formam os doze aminoácidos essenciais, a proteína completa. A proteína vegetal tem a vantagem de vir acompanhada de vitaminas e sais minerais, além de enzimas e outros nutrientes, que facilitam o aproveitamento pelo organismo e dão efeitos alcalinizantes.



Entenda isso:
Uma pessoa que faz uma alimentação saudável e tem um corpo equilibrado, fará uma transmutação de substâncias, isto é, se a pessoa come bastante cálcio e necessita de proteína, seu corpo transforma um no outro, segundo a pratica da alimentação viva citada pelo Professor Mario Sanchez, como demonstra em seu livro “Medicina Nutricional”.



Existem estudos afirmando
que o ser humano necessita apenas de um grama de proteína por quilo de alimento (proteína vegetal, que não gera toxinas), e o excesso (as pessoas costumam comer 100 vezes mais) sobrecarrega o fígado (órgão responsável pelo catabolismo do aminoácido em uréia e outros produtos) e os rins, que terão de eliminar os resíduos do catabolismo (destruição) dos aminoácidos, com conseqüente sobrecarga de todo o aparelho digestivo, assim como da pele e dos pulmões, que também são órgãos de eliminação.


Na mudança alimentar,(dependendo de cada indivíduo, meu caso boicotei drasticamente as carnes) é importante ir tirando devagar, primeiro as carnes vermelhas, depois as brancas, para depois se tornar um vegetariano; o tempo necessário é individual. Respirações profundas, caminhadas, CORRIDAS e pequenas exposições ao ar e ao sol, preferencialmente pelo ar e o sol das primeiras horas matinais, fazem parte de uma boa alimentação e sao importantissimas para ajudar o corpo a eliminar as energias antigas e renovar-se, garantindo uma saudavel transição e renovação dos habitos.


Se tudo o que foi dito não lhe convenceu da necessidade de usar a proteína vegetal, lembre-se da vibração negativa na hora de matar um animal, dos gritos, das dores e da tristeza que ele vive naquele momento, sendo que tudo isto fará parte da sua alimentação, apenas para que voce ache o gosto bom, no seu prato de comida. Depois pense em como é saudável e agradável colher verduras, frutas e legumes, alimentos cujas vibrações são sutis e invisíveis, e que curam e alegram o nosso ser.


Agora ficou claro da onde tiro as proteínas?  =)


Total de visualizações de página