''O QUE PODEMOS FAZER PARA QUERER FIRMEMENTE AQUILO QUE RECONHECEMOS SER O MELHOR PARA NÓS E PARA NOSSA ESPÉCIE?''

23 de dez de 2009

Sobre o Aluminio, o uso e seus malefícios.



PRIMEIRAMENTE:
NAO ACREDITEM DE FORMA ALGUMA NISSO:
Além de contraditório, é o que eles querem que você ache, eles não vão fechar a industria, seu lucro diário do comércio e utilização do alumínio só porque minoritas pessoas conscientes dizem que faz mal.
Olhos atentos!

Breve história...


Tanto na Grécia como na Roma antigas se empregava a pedra-ume (do latim alūmen ), um sal duplo de alumínio e potássio, 

Geralmente é dado a Friedrich Wöhler o reconhecimento do isolamento do alumínio, fato que ocorreu em 1827, apesar de o metal ter sido obtido impuro alguns anos antes pelo físico e químico Hans Christian Ørsted.
Em 1807, Humphrey Davy propôs o nome aluminum para este metal ainda não descoberto. Mais tarde resolveu-se trocar o nome para aluminium por coerência com a maioria dos outros nomes latinos dos elementos, que usam o sufixo -ium. Desta maneira ocorreu a derivação dos nomes atuais dos elementos em outros idiomas. Entretanto, nos EUA, com o tempo se popularizou a outra forma, hoje admitida também pela IUPAC.
Apesar do alumíno ser um metal encontrado em abundância na crosta terrestre raramente é encontrado livre. Suas aplicações industriais são relativamente recentes, sendo produzido em escala industrial a partir do final do século XIX. Quando foi descoberto verificou-se que a sua separação das rochas que o continham era extremamente difícil. Como conseqüência, durante algum tempo, foi considerado um metal precioso, mais valioso que o ouro. Com o avanço dos processos de obtenção os preços baixaram continuamente até colapsar em1889, devido à descoberta anterior de um método simples de extração do metal. Atualmente, um dos fatores que estimulam o seu uso é a estabilidade do seu preço, provocada principalmente pela sua reciclagem.


Em 1859, Henri Sainte-Claire Deville anunciou melhorias no processo de obtenção, ao substituir o potássio por sódio e o cloreto simples pelo duplo. Posteriormente, com a invenção do processo Hall-Héroult em 1886, simplificou-se e barateou-se a extração do alumínio a partir do mineral. Este processo, juntamente com o processo Bayer , descoberto no mesmo ano, permitiram estender o uso do alumínio para uma multiplicidade de aplicações até então economicamente inviáveis.
A recuperação do metal a partir da reciclagem é uma prática conhecida desde o início do século XX. Entretanto, foi a partir da década de 1960 que o processo se generalizou, mais por razões ambientais do que econômicas. (será ?)


O processo ordinário de obtenção do alumínio ocorre em duas etapas: a obtenção da alumina pelo processo Bayer e, posteriormente, aeletrólise do óxido para obter o alumínio. A elevada reatividade do alumínio impede extraí-lo da alumina mediante a redução, sendo necessário obtê-lo através da eletrólise do óxido, o que exige este composto no estado líquido. A alumina possui um ponto de fusão extremamente alto (2000 °C) tornando inviável de forma econômica a extração do metal. Porém, a adição de um fundente, no caso acriolita, permite que a eletrólise ocorra a uma temperatura menor, de aproximadamente 1000 ºC. Atualmente, a criolita está sendo substituída pela ciolita, um fluoreto artificial de alumínio, sódio e cálcio.

Alumínio e a sua saúde

O alumínio tem espantosa versatilidade, sendo utilizado em muitas ligas metálicas. Depois do aço, é o metal mais usado no mundo, seja em panelas, embalagens aluminizadas, latas de refrigerantes e cervejas, antiácidos e desodorantes antitranspirantes, assim como vasilhames para cães e gatos comerem e beberem.

Em suma, o alumínio é muito útil, porém mortal.

Não há evidências que o alumínio tenha qualquer função vital em plantas ou animais. Está presente em quantidades mínimas nos tecidos de animais, sangue e urina. O conteúdo total no organismo humano estima-se que seja de 50 a 150mg. As maiores concentrações encontram-se nos pulmões talvez devido a poluição atmosférica.

Faixas de concentração de alumínio em nutrição humana:
- em vegetais: 5 – 9,5 ppm.
- frutas frescas de bagas e frutas com caroço: 2 – 4 ppm.
- frutas cítricas: menos que 0,1 – 0,2 ppm.
- leite de vaca: 0,4 – 0,8 mg/l.
- carne de músculos e órgãos: 0,2 – 0,6 ppm.

A faixa de ingestão diária de alumínio na dieta de seres humanos está em torno de 1O à 100mg.



  • Interações:


O excesso de alumínio interfere com a absorção de selênio e potássio.
Dietas pobres em cálcio e ricas em fosfatos favorecem o aumento de alumínio.

Fontes de contaminação
Queijos, panelas, embalagens, tubos de pasta dental, cigarros, creme tártaro, alimentos enlatados, desodorantes, cerveja em lata, leite em caixa, antiácidos com hidróxidos de alumínio.


Doenças causadas pela Toxicidade do alumínio

O excesso de alumínio no organismo provoca constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, cefaléia, esquecimento, distúrbios de aprendizado, hiperatividade, crises convulsivas, incoordenação motora, demência pré-senil, padrão de fala alterados, diminuição das funções hepáticas e renais.

Tem sido encontrado em altas dosagens nos cérebros de doentes que faleceram com síndrome de Alzheimer e doença de Parkinson,

Orientações higieno-dietéticas:

1-remova ou diminua as fontes de exposição ao metal.
2-aumente o aporte de cálcio, magnésio e vitamina. B6.
3-Diminua o aporte de potássio.
4-Reduza o uso de antiácidos.
5-O alumínio não pode ser quelado, mas pode ser substituído.


Tratamento da intoxicação, desintoxicar-se:

O uso de fibras vegetais é importante para retirada dos metais do organismo.
[pesquise formas de purificação do organismo]
[pesquise alimentos desintoxicantes, alcalizantes, purificadores]

Sabe-se que várias fibras vegetais tem propriedades de quelar metais pesados. A pectina é uma fibra encontrada na maçã e que tem bastante afinidade pelo alumínio. Doses indicadas: 1,0-3,0 gr/dia.

Frutos que contém muita vitamina C, não usa-los em demasia. Variar bastante.


MALEFICIOS DO USO DO ALUMINIO


Panelas podem transferir alumínio para alimentos.


Alimentos preparados em panelas de alumínio e aço inox podem absorver metais durante o cozimento e afetar a saúde humana. Segundo uma pesquisa realizada na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP nestes recipientes é maior a transferência do alumínio (metal tóxico) para a água, e desta para os alimentos. No processo de cozimento do arroz e do feijão, a engenheira Elaine Cristina Bocalon encontrou quantidades excessivas do metal.

A transferência de alumínio em água com sal (10 gramas em 4 litros) foi de 20 miligramas por litro (mg/L) após 3 horas de fervura, quando o admissível seria de 12 a 14 mg/dia. A grande quantidade de alumínio pode trazer vários danos à saúde humana. "Esse metal causa inflamações, seu vapor afeta gravemente os pulmões e há estudos que mostram uma concentração de alumínio no cérebro de pessoas que morreram com mal de Alzheimer", explica Elaine.
A pesquisa também constatou que essa transferência - que depende do tipo de utensílio, da água corrente e de alguns alimentos - cresce com uma maior quantidade de sal e com o pH (Potencial Hidrogeniônico) mais básico. Aumentando-se a salinidade, por exemplo, de 10 para 50 gramas por 4 litros, a concentração de metais na água subiu 25%. Já a variação do pH, elevando-o de muito ácido para muito básico, aumentou em 160% a concentração do alumínio na água.

No cozimento do arroz por 10 minutos, na panela de alumínio, a concentração do metal quase dobrou e na de aço inox, o aumento passou de 130%, comparando-se ao arroz não lavado. No feijão, cozido na panela de alumínio, a concentração do metal subiu aproximadamente 35% em relação ao grão não lavado.

Outros recipientes
A transferência de alumínio para os alimentos é praticamente a mesma quando as panelas são feitas deste metal ou de aço inox. Apesar disso, o aço inox tem algumas vantagens - ele também passa nutrientes: nele foram encontradas as únicas concentrações de cromo detectadas pela pesquisa e as maiores quantidades de ferro. São transferências benéficas de metal, desde que não sejam exageradas. A pesquisadora lembra que os médicos costumavam indicar a pessoas com anemia que cozinhassem em panelas de ferro, para que o metal fosse para o alimento e suprisse as carências do doente. Além disso, não houve transferência de níquel, tóxico. Já a panela de alumínio passou o metal tanto para o arroz quanto para o feijão.

As panelas de teflon parecem ser uma barreira a essa passagem de metais, explica a pesquisadora. Elaine, que estudou o cozimento de alimentos em água do sistema de distribuição de Ribeirão Preto, vai agora fazer novos estudos com água contaminada por partículas de alumínio nas panelas de teflon para verificar se ainda assim não haverá transferência. "Ainda não terminei a pesquisa com o teflon, mas acredito que seja a melhor", afirma.
A pesquisa foi feita com panelas novas. Lavar as panelas com esponja de aço, por exemplo, alteraria esses resultados, podendo aumentar a transferência de metais da água da panela para os alimentos. A pesquisadora faz outras recomendações, como adicionar o sal apenas após o cozimento dos alimentos; evitar utensílios de alumínio, especialmente as pessoas que sofrem de insuficiência renal crônica; evitar esquecer panelas no fogo e preferir os recipientes de teflon ou aço inox.

Fonte: Agência USP



minha opinião talvez não tão importante pra seu pensamento:


Por que trocar hábitos antigos por novos hábitos insalubres?
Era e é tao bom comer um alimento preparado em uma panela emque nao se soltarão residuos toxicos e metais pesados no seu alimento, que nada é do que vida, algo sagrado, hoje não tao valorizado pela maioria dos cordeirinhos [população]. Sendo exageradamente contaminada com condimentos, sal refinado, temperos industriais.


Até ouço falar de que o sabor da comida muda. Nunca ouvi algo que fala-se mal das pobres panelas de barro, a terra é uma parte da natureza, cuja estamos ligados, por mais que tentem nos desligar dela, criando tecnologias fúteis e distrações, nunca desconectaremos dela por completo, somos parte dela, é como uma mãe e sua cria, já ouvirmos tantas historias de que a mãe até consegue pressentir quando o filho sofre ou esta em apuros não é mesmo? 


A lama nada é do que terra molhada, a terra traz consigo vários nutrientes de que nosso corpo se auxilia, isso é fato, existem muitos tratamentos a base de terra, argila, lama, etc e é fácil de se imaginar que no máximo, de uma panela de barro, posa até soltar algum elemento, mas qual mal teria um elemento como ferro, soltar-se em sua comida, raramente? :)


A praticidade em massa leva ao esquecimento dos padroes corretos do uso de utensilios na vida cotidiana. A midia é a maior responsavel por dar o sobro viciante do consumo, gerando a imagem de que panelas tramontina e outras industriais sao otimas, a dona de casa vê aquela panela brilhante e simétrica, e a compra, sem nem ao menos ler, informar-se sobre o metal que é usado, e a maneira de usa-la, muitas vezes ao se alimentar ainda raspa a panela, imaginem o atrito que gera uma colher grossa de arroz raspando no cantinho de uma panela de alumínio velha, tentam imaginar a quantidade de alumínio que entrará no organismo da pessoa. Sem querer e até por ignorancia total, nos continuamos esses habitos e até damos de presente panelas de alumínio e teflon, achando que de certa forma isso é correto, isso é agir sem o questionamento interno sobre os valores, me diga isso é certo? Não é certo agir sem pensar... 
O Alumínio é um metal leve, e o corpo adquirira esse novo inimigo na sua luta diária e constante sobre os males que sao intrusos no nosso organismo e vitalidade, como químicos em geral, poluentes e coisas artificiais que sao colocadas sem permissão em nosso alimento, utensilios de higiene, água e ar todos os dias. Fico imaginando a quantidade de energia que nosso corpo deve gastar pra tentar auto-purificar/curar/defender/expulsar nosso organismo desses ataques prejudiciais, em especial pras pessoas que não ligam para o que comem e o que usam, deduzo tbm que isso não é aparentemente visivel, mas que em escala de tempo ampla, isso acarretará alguns transtornos.


por le [reflexo-natural.blogspot.com]


14 de dez de 2009

Ciência, Nutrição e Espiritualidade.

tirado da revista SEICHO-NO-IE
ANO XVIII - nº 215 Junho de 2003

:: Página 27 -29 ::


'' Carne, ovos, leite constituem a base de uma alimentação saudável, por conta de sua proteína, um nutriente fundamental para a alimentação. ''


O ensinamento Seicho-No-Ie diz:

''Por que necessita o homem de comer tanta carne, se o boi alimenta-se apenas de capim e produz cerca de meia tonelada de carone?''
''Seria o boi mais evoluido que o homem, pois consegue produzir carne a partir do capim? ''

Enfim, cai por terra a crença de que a carne significa proteína, e que esta é fundamental para a vida.
Hoje este antigo conceito cai por terra, em função dos novos conhecimentos da ciêcia da nutrição.
Sábio mestre Masaharu Taniguchi!
Hoje já se reconhece que a necessidade é de aminoácidos, e não de proteínas em si. E o que são aminoácidos?
São as unidade integrantes fundamentais das proteínas, insto é, as proteínas são macromoléculas compostas de um grande numero de aminoácidos. Além de encontrarmos os aminoácido em fontes de origem animal (carnes, ovos, leite, etc.), encontramos também no alimentos de origem vegetal como leguminosas(feijão, lentilha, grão-de-bico, soja, ervilha, fava, amendoin), grãos e outros.

Alguns dos aspectos científicos do não-consumo de carne pelo ser humano são:

  • melhor manutenção do peso corporal;
  • melhor regulação da pressão sanguínea;
  • reduçõ de problemas cardíacos (portanto, preservação da saúde);
  • melhor funcionamento do trato gastrointestinal;
  • prevenção de certos tipos de câncer.

Alguns aspectos positivos da evolução espiritual através do NÃO-CONSUMO de carne pelo homem:

  • não recebe a vibração da tristeza do animal no momento em que é abatido;
  • preservação e respeito à Naturaza e aos animais (ética!);
  • seres humanos mais pacíficos e harmoniosos;
  • respeito à vida dos animais significa respeito à prória vida;
  • menos ganância e disputa por poses materiais;
  • contribuição à ecologia e ao meio ambiente (queimadas e derrubadas de árvores para o uso do gado);
  • construção de um mundo mais pacífico, com menos guerras (matança gera matança);
Portanto, sempre que possível, devemos evitar o consumo de alimentos de origem animal, principalmente a carne vermelha, porém, com sabedoria e sem extremismos, até que esse hábito se torne naturalmente incorporado em nossa alimentação diária.
Quanto ao hábitos alimentares de alimentos de origem animal ou vegetal, os seres humanos são classificados como:

Vegetarianos: pessoas que excluem carnes, aves, peixes, ou seja, alimentos de origem animal;
Lactovegetarianos: pessoas que consomem leite, ovos, mas omitem carne.
Semivegetarianos: pessoas que incluem alguns, mas não todos os alimentos de origem animal, e geralmente excluem a carne vermelha;
Lacto-Ovo-Vegetarianos: pessoas que incluem leite e derivados, ovos, em seu consumo, omitindo porem carnes e alimentos de origem marinha.

Porém, as dietas vegetarianas devem ser bem planejadas, a fim de constarem todos os nutrientes em quantidade adequada a uma boa alimentação.
Diversos estudos apidemiológicos do consumo de frutas e vegetais na redução de doenças crônicas-degenerativas, incluindo a presença de nutrientes antioxidantes e fitoquímicos.
leia muito, estude, informe-se e incorpore esse hábitos em sua vida. Atravéz da Meditação Shinsokan, quando o nosso ser se centraliza, naturalmente passamos a preferir alimentos leves e adequados que somente nos vivificarão.
Os hábitos alimentares saudáveis devem ser adotados de acordo com o despertar de cada indivíduo; alimentação adequada é reflexo do despertar espiritual. Mas cuidado, pois extremismos podem ocasionar atritos em familia, por mudanças bruscas no hábitos alimentares.
Se você já despertou para a importância de hábitos saudáveis na alimentação, parabéns! Porém, com muita sabedoria, vá conduzindo aos poucos sua familia para habitos corretos.
Extremismos geram conflitos. Amor, sabedoria, paciência, respeito e perseverança levam a familia à saúde e à longevidade.
Seja apenas o exemplo, não deseje implantar o hábito nos outros, pois a familia, com certeza, caminhará seguindos as suas pegadas.

Muitos escritores, cientistas, filósofos e homens ilustres foram vegetarianos, citamos alguns:

Masaharu Taniguchi
Leonardo da Vinci
Sakyamuni (Buda)
Jesus Cristo
Charles Dawin
Benjamim Franklin Virgílio
Emile Zolá
Horácio Albert Einstein
platão
Mahatma Gandhi
Pitágoras
Albert Schwatzer
Sócrates
Paul Newman
William Shakespeare
Voltaire
 
E poque não VOCÊ?
Pense nisso.

10 de dez de 2009

Perguntas Frequentes Sobre o Consumo De Carne


E as plantas, não é errado comê-las?
Plantas não sentem dor pelo simples fato de não terem sistema nervoso nem nervos, é questão científica mesmo. Mas mesmo considerando que sim, eles sentem dor, quantos milhões de vegetais você mata ao comer um boi que cresceu comendo vegetais? Um boi leva, em média, 4 anos e meio para ser morto para alimentação, neste período ele consome muitos vegetais, concorda?


"A produção de grãos de uma fazenda com 100 hectares pode alimentar 1.100 pessoas comendo soja, ou 2.500 com milho. Se a produção dessa área for usada para ração bovina ou pasto, a carne produzida alimentaria o equivalente a oito pessoas."
Fonte


Se animais matam outros animais para se alimentar, porque deveríamos agir de forma diferente?
Os animais que matam para se alimentar não poderiam sobreviver se agissem de outra forma. Este não é o nosso caso. Nós, humanos, na verdade nos tornamos mais saudáveis quando adotamos uma dieta vegetariana. Além disso, se nós não costumamos nos comportar como animais, por que deveríamos abrir uma exceção para este caso?


Os seres humanos não têm que comer carne para permanecer saudáveis?
O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos e a Associação Dietética Americana, dois órgãos que são referência mundial em questões alimentares, endossaram dietas vegetarianas. Pesquisas demonstraram também que vegetarianos possuem sistemas imunológicos mais fortes, e que os consumidores de carne têm duas vezes mais chances de morrer de doenças cardíacas e probabilidades 60% maiores de morrer de câncer. O consumo de carne, leite e seus derivados tem sido ainda relacionado a diversas outras doenças, como diabetes, artrite e osteoporose.


Os vegetarianos ingerem proteína suficiente?
Em boa parte dos casos, o problema é ingerir proteína em demasia, não em quantidade insuficiente. Muitos dos que consomem produtos de origem animal ingerem três ou quatro vezes mais proteínas do que necessitam. Há uma enorme variedade de alimentos vegetarianos ricos em proteínas, como massas, pães, feijões, ervilhas, milho e até mesmo cogumelos. Quase todos os alimentos contêm proteína. É quase impossível não obter proteína suficiente em uma dieta que possua a quantidade de calorias adequada, mesmo que não se faça uma escolha mais cuidadosa dos alimentos. Por outro lado, proteína em demasia é uma das principais causas conhecidas de osteoporose e doenças renais.


Comer carne é natural. Tem sido assim por milhares de anos. Nós evoluímos desta maneira.
Na verdade, nós não evoluímos para comer carne. Animais carnívoros possuem dentes caninos pontiagudos, garras e um trato digestivo curto. Os seres humanos, em seu atual estágio de evolução, não apresentam garras nem caninos desenvolvidos. Temos molares lisos e um trato digestivo longo, muito mais adequado a uma dieta de vegetais, grãos e frutas. Comer carne é perigoso para nossa saúde; contribui para o aparecimento de doenças cardíacas, câncer e uma infinidade de outras doenças.


Se todos passassem a comer apenas alimentos de origem vegetal, haveria bastante comida para todos?
Boa parte da safra mundial de grãos é na verdade destinada a alimentar o gado. Desta forma, se todos se tornassem vegetarianos, haveria muito maior abundância de alimentos. Nos Estados Unidos, por exemplo, 80% do milho produzido são usados na alimentação dos animais criados para consumo. Em todo o mundo, o gado consome uma quantidade de alimento equivalente às necessidades calóricas de 8,7 bilhões de pessoas - mais do que toda a população humana do planeta.


Os fazendeiros tratam seus animais muito bem, ou eles não produziriam tanto leite e ovos.
Os animais nas fazendas não ganham peso, produzem leite e colocam ovos porque se sentem confortáveis, contentes, ou são bem tratados, mas, na verdade, porque foram manipulados especialmente para fazer estas coisas, com drogas, hormônios e técnicas de criação e seleção genética. Além disso, os animais criados para produção de alimentos, mesmo vacas leiteiras e galinhas poedeiras, hoje são abatidos em idade extremamente jovem, antes que as doenças e a miséria os dizimem. É mais lucrativo para os fazendeiros absorver as perdas ocasionadas por mortes e doenças do que manter os animais em condições humanitárias.


Vegetarianismo é uma questão de escolha pessoal. Não tente forçar os outros a fazer esta escolha.
De um ponto de vista moral, as ações que prejudicam outros não são questões de escolha pessoal. O assassinato, o estupro, o abuso de crianças e a crueldade para com os animais são atitudes imorais. Nossa sociedade incentiva hoje o hábito de comer carne e a crueldade nas unidades de criação de animais, mas a história nos ensina que esta mesma sociedade um dia encorajou a escravidão, o trabalho infantil e muitas outras práticas agora universalmente reconhecidas como imorais.


Eu conheço um vegetariano que não é saudável.
Há, claro, vegetarianos que não são saudáveis. Assim como há comedores de carne na mesma situação. Mas o fato é que as pesquisam comprovam que dietas vegetarianas bem variadas e de baixo teor de gordura criam melhores condições para uma vida mais longa e saudável.


Mas eu não matei o animal.
Não, mas financiou sua morte, tornando-se responsável direto por ela. Sempre que você compra carne, assina um atestado de culpa: a morte daquele animal foi para seu usufruto e você pagou por ela.
Se o problema é provocar sofrimento ou dor, então um animal que tenha morrido de morte natural ou um ser humano em coma podem virar bifes?
Sim, quando você achar um cachorro na rua atropelado, se sentir vontade, pode comer o corpo, não vejo problema nisso.

E as Proteinas?
Erroneamente falam que a proteina só é obtida de forma relevante se for de origem animal. Mas veja... vivemos num mundo sem fronteiras para informação, basta usar a internet e em livros e checar com seus olhos, existem inúmeros pratos e receitas com alimentos ricos em proteína, agora se você acha que vale a pena matar, privar, escravizar animais da nossa Terra para usufruir do gosto e de seus nutrientes. O grande interessado nisso é a grande indústria do confinamento e morte animal, a opção ética, de coesão e inteligencia é sua.

A alimentação vegetariana/vegana é mais cara...
Não é tão mais cara, alguns alimentos tem um preço um pouco mais elevado, nada que nao dê para comprar. Porém a quem fale que o bolso é mais importante do que a saúde, é.. isso varia de pessoa pra pessoa.


veja mais sobre a proteina e também faça o donwload da tabela de substituição de proteína animal pela vegetal. Clique aqui.

Total de visualizações de página